belezas paisagisticas e artisticas de Trás-os-Montes
Quarta-feira, 9 de Janeiro de 2008
A SOLIDÃO CRIATIVA DO PASTOR TRANSMONTANO

A SOLIDÃO CRIATIVA DO PASTOR

 

 

Ser Pastor no Século XXI é uma opção de vida para mim, depois de ter nascido e crescido junto dos animais: vacas, ovelhas, cabras e cães. Frequentei as escolas da aldeia, fiz o equivalente ao actual 6.ºano de escolaridade e sempre me dediquei à observação da natureza, à cultura dos campos e do espírito, lendo livros e ouvindo, na Rádio e Televisão, pessoas que despertavam a minha atenção.

Por circunstâncias familiares, sempre vivi do campo e para o campo, com todos os seus encantos e agruras. Umas vezes cantava, outras vezes chorava, como acontece com quase todos os seres humanos; só que eu senti na carne as rajadas dos ventos fortes e o frio da neve e das geadas. Mas como disse o poeta Fernando Pessoa no poema MAR PORTUGUÊS:

                           «Quem quer ir além do Bojador

                             Tem de ir além da dor.»,

  recordando-nos as dificuldades que muitos marinheiros portugueses sentiram para descobrir as Terras do Oriente.

 

Eu também tive de ir além da dor, da dureza da vida em que fui criado e que continua em momentos do rigoroso Inverno em Terras do Barroso, ou debaixo de um calor intenso nos meses de Verão. Este contraste até foi classificado como «nove meses de Inverno e três de Inferno».

 

Apesar de tudo isso, vivo feliz com a minha família e nada nos falta. Trabalhamos no campo mas vivemos alegres e com o conforto a que numa aldeia se pode aspirar.

 

Na minha qualidade de Pastor, sou um «Bom Pastor». Trato as minhas ovelhas com carinho, pego-lhe nos filhos ao colo, quando é preciso, e procuro para elas o melhor. Os cães ajudam-me a guardá-las dos lobos; elas também são as minhas grandes amigas. Dão-me a qualidade de vida que tenho, juntamente com os apoios que recebo da Comunidade Europeia, e percorro os montes atrás delas; umas vezes cantando, outras receoso, com medo das trovoadas;                       e,

nos momentos de solidão começam a nascer pensamentos criativos que fazem de mim um poeta popular (até já recitei alguns poemas em directo para os ouvintes da Rádio Larouco, de Chaves, e o jornalista Sérgio Mota aproveitou e fez-

-me uma entrevista via telemóvel). Penso no Património que os nossos antepassados nos deixaram: nas igrejas e capelas, nos cruzeiros, nas sepulturas antropomórficas, nos moinhos, nas cantigas populares, na maneira como se vestiam e calçavam, nos caldos de farinha e nas castanhas que comiam para se alimentar.

Enfim, vivo momentos de sonho e de ilusão a partir de uma realidade que muitos rejeitam pelos seus espinhos, mas esta vida dura também tem os seus encantos.

 Num fado diz-se: «Quando a tristeza me invade, canto o fado…»

E, eu, penso nos miseráveis que vivem sem abrigo nas cidades e naqueles que à nossa volta querem dar a impressão de que são ricos e não passam de pelintras, mentirosos e ladrões; ou, então, passam a vida a mendigar para lhes arranjarem um emprego e eu, aqui, sou senhor de belas paisagens, de um ambiente saudável e uma alimentação abundante.

 Uma das ideias que renasceu da solidão foi produzir mais este filme para servir de testemunho histórico aos vindouros, conhecer as suas origens e respeitarem o passado. Amanhã, também eles serão passado.

     Já fiz um filme onde refiro, concretamente, a minha vida de Pastor e os trabalhos no campo.

     SAPIÃOS é uma aldeia rica em História. Os documentos confirmam isso. Nós também fazemos parte dessa História e queremos honrá-la dando o nosso humilde contributo.

 

                            Alfredo Gomes do Couto

                                         (Pastor)



publicado por belezaserrana às 16:34
link do post | favorito
|

Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 



Sapiãos (Boticas)
subscrever feeds
pesquisar
 
Vida Rural em Sapiãos
Do namoro ao casamento

Aspectos da vida rural
Junho 2015
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30


posts recentes

SUBA AS MONTANHAS E VOLTE...

CHAVES RECEBEU EM FESTA A...

OUTONO CHEGOU FARTO, CHUV...

TERMAS DE CHAVES A GALIN...

MENSAGEM DOS QUE PEDEM PA...

O MEL TUTI_FLORES DÁ SAÚD...

HISTÓRIA DA ALDEIA ONDE ...

AS FLORES NÃO ENCOBRIRAM ...

HISTÓRIA DE CHAVES CONTAD...

ENTRE OS PORTUGUESES TRAI...

arquivos

Junho 2015

Março 2015

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

mais sobre mim
Sapiãos no mapa

Ver mapa maior
subscrever feeds
blogs SAPO