belezas paisagisticas e artisticas de Trás-os-Montes
Sábado, 30 de Janeiro de 2010
OS POBRES CONTENTAM-SE COM POUCO

 

                                      Presuntos em restaurantes de luxo

 

         

 
               Temos notícias frescas sobre o contentamento dos barrosões de Boticas e Montalegre pelo sucesso das “feiras do fumeiro”, há dias realizadas, nas sedes dos respectivos concelhos.
               Sobre a de Boticas, o Presidente da Câmara Municipal, Eng.º Fernando Campos adiantou: «tal foi a procura e o volume das vendas que o negócio rendeu cerca de 350 mil euros» 70.mil contos.
               Em Montalegre, os números são mais elevados: «Pela apreciação que fizemos junto dos produtores, ultrapassámos o milhão de euros (200 mil contos), valor que estava definido como meta ambiciosa», disse o presidente da Câmara, Dr. Fernando Rodrigues. (Lembramos que o concelho de Montalegre tem mais do dobro de área do que o de Boticas.)
              Pela televisão, rádios e jornais, temos acompanhado o bom trabalho e esforço das autarquias na defesa dos interesses dos seus munícipes e, por isso, associamo-nos ao contentamento deles e ao êxito das suas feiras, incluindo a Sabores e Saberes de CHAVES.
              Então, como justificar o título «os pobres contentam-se com pouco?»
- E quem contabiliza os custos das despesas com os porcos e as horas de trabalho de milhares de pessoas a tratar dos mesmos?
 -É que estes milhões não foram dados a quem não trabalha, como tem vindo a acontecer nos grandes centros urbanos a quem nunca soube o que era trabalhar a sério, como se trabalha no Barroso nas aldeias do concelho de Chaves ou em Vinhais, onde o fumeiro é bom, graças a factores diversos, entre eles, o incómodo de tratar dos porcos no meio da porcaria «excrementos dos mesmos». Não fiquem a pensar os senhores que vão comer os presuntos, os salpicões e as chouriças, nos restaurantes de luxo das grandes cidades, que estão a ser explorados pelos transmontanos pobres que cuidaram dos animais e eles estão a comer, graças a muitos sacrifícios desses camponeses humildes.  Portanto, os anunciados milhões, contas feitas à maneira do poder reivindicativo dos sectores industriais, não passam de uns magros cêntimos. As grandes margens de lucro, isso sim, talvez vão parar a outras bolsas.
     Não se pode criar a ideia de que os desgraçados que mourejam dia e noite são abastados e não precisam dos apoios do Estado como têm vindo a reivindicar outras regiões do País, bem mais ricas e protegidas.
    É que os transmontanos são os parentes pobres de Portugal.
    Que o digam os doentes que aguardam horas a fio às portas do Hospital de Chaves e dos Centros de Saúde.
                        Artur Monteiro do Couto
 
              
 


publicado por belezaserrana às 19:37
link do post | comentar | favorito
|

Sexta-feira, 22 de Janeiro de 2010
A VIDA É BELA NÃO DÊ CABO DELA.

                                      

 

       FUI AO CARDIOLOGISTA POR MIM E POR SI
                     
       - Veja as recomendações que nos fez:
 
       No dia 20 de Janeiro, dezenas de médicos cardiologistas reuniram-se em Lisboa para participarem no lançamento do livro do Professor Doutor Manuel Oliveira Carrageta «COMO TER UM CORAÇÃO SAUDÁVEL» e a apresentadora, Dr.ª Simoneta Luz Afonso, depois de ter lido o livro, começou por dizer que estava ali como cobaia, a contar a sua experiência.
 - E disse:
Uma das coisas mais importantes, para mim, é comer sopa todos os dias, quando estou em Portugal. Sigo o exemplo dos camponeses: «eram pobres mas saudáveis»; comiam os saudáveis produtos da terra; as maçãs, o pão centeio, pouca carne, muitas fibras, maçãs e em vez de beberem muitos cafés bebiam muita água e uns copitos de vinho tinto. Por outro lado, faziam muita ginástica a trabalhar e não passavam os dias sentados e a dormir diante das televisões.
      Ora, seguir estes conselhos é fácil. «Primeiro, estranha-se, depois entranha-se.»
          -Agora fala o Professor de Cardiologia da Universidade de Lisboa:
      Quer ter um coração saudável? Aqui ficam alguns conselhos.
 - 1- Tenha uma alimentação saudável.
 Ter saúde e sentir-se jovem e com energia depende mais do estilo de vida do que dos cuidados médicos, por melhores e mais especializados que estes sejam.
    2 – Faça actividade física.
Se quer ter uma óptima saúde e aumentar a energia e o vigor, faça exercícios físicos e ande a pé.
    3.- Mantenha um peso saudável.
 Mais de um terço de portugueses têm excesso de peso e cerca de um quinto são obesos. No mundo, a obesidade está em grande expansão entre os jovens por causa das gorduras e dos produtos açucarados que ingerem. E isto é grave para uma vida saudável.
    4.- Reduza a tensão arterial.
Hoje, a HTA é o mais importante problema de saúde em Portugal, sendo o principal factor de risco responsável pelos acidentes vasculares cerebrais, primeira causa de morte e incapacidade no nosso País. Muitas vezes, pensamos que isto só toca aos outros, os que vemos de boca ao lado e a rastejar a perna. E todos podemos ter uma surpresa desagradável, apesar de muitos cuidados.
   O autor destes comentários, já se deparou com uma situação pessoal de tensão arterial de 14 de mínima e 24 de máxima. Para evitar um AVC ou morrer de imediato, valeu-lhe a leitura de conselhos semelhantes a estes e trazer na carteira remédios para a situação de anomalia.
    5. Não fume.
    6. Baixe o colesterol.
A Organização Mundial de Saúde estima que mais de 50% dos enfartes do miocárdio e cerca de 20% dos Acidentes Vasculares Cerebrais (AVC) estão associados ao colesterol (gordura no sangue) elevado.
    7. –Controle o STRESS (preocupações e situações de angústia) porque pode causar ataques cardíacos, acidentes vasculares cerebrais, aumentar o risco de cancro, perturbar a memória, causar depressão, aumentar o peso, agravar a diabetes, afectar a função sexual, etc.. “E se isto acontecer, nem o Viagra o safa…”
    8. – Beba vinho tinto moderadamente.
O consumo moderado de álcool associa-se aos benefícios para a saúde (beber moderadamente é definido pela ingestão diária de um a dois copos pequenos(2,5 dl) no homem e um copo na mulher.
    9. Reduza o consumo de sal.
   10- Tome o pequeno-almoço
O pequeno-almoço é uma refeição muito importante que quebra o longo jejum da noite – particularmente nos mais jovens, pode atingir as 12 horas – momento em que as nossas reservas energéticas estão num nível mais baixo.
«Podemos dizer que o pequeno-almoço é a refeição mais importante do dia!»
Professor Manuel O. Carrageta.-Âncora Editora. 
A terminar, desejamos a todos os Visitantes uma vida saudável e feliz.
          «A Vida É Bela; Não dê cabo dela.»
                    Artur Monteiro do Couto
         


publicado por belezaserrana às 15:30
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|

Sexta-feira, 15 de Janeiro de 2010
QUEM SE LIXA É O MEXILHÃO DE BOTICAS OU A BARRAGEM DE PADROSELOS NO RIO BEÇA?

          DOZE MEXILHÕES PÕEM EM CAUSA A CONSTRUÇÃO DA BARRAGEM

 

      Segundo lemos no jornal «A VOZ DE TRÁS-OS-MONTES», «A Câmara Municipal de Boticas ainda não definiu a sua posição relativamente à construção ou não da Barragem de Padroselos no rio Beça. O Município prefere adoptar uma postura cautelosa sobre esta matéria e "espera para ver" o evoluir da situação.»

     «Este empreendimento hidráulico pode ficar em causa, após a descoberta de uma colónia de mexilhões não comestíveis de água doce, Margaritífera, considerados em vias de extinção.»

       - Aqui fica o nosso comentário, não científico nem demagógico:

    Ponto 1. No Vale do Côa - Trás-os Montes e Alto Douro - deixou de se construir uma Barragem por causa da campanha política de que "as gravuras não sabiam nadar" e em troca dos benefícios que a Barragem iria trazer para as populações locais, em plena campanha eleitoral, prometeram-se «mundos e fundos» dando a impressão de que toda a gente daquelas humildes terras iria ficar rica com museus e fluxos turísticos. Passados anos, tudo redundou numa desilusão, como vemos e ouvimos nos meios de comunicação social.

      Ponto 2 . Em Lisboa, quando se quis construir a Ponte Vasco da Gama e agora, o Novo Aeroporto, discute-se o incómodo que se vai causar a diversas espécies de aves.

         Em Lisboa e arredores, cortam-se os sobreiros, fazem-se as pontes, umas quase em cima das outras, como o previsto, e os ambientalistas pouco mais podem fazer do que protestar.

 

        Em Trás-os-Montes, pelos vistos, treze mexilhões não comestíveis e que não fazem bem nem mal a ninguém, escondidos num ribeiro de onde as célebres trutas que deram alguma fama e proveito a Boticas quase desapareceram, estão

a impor uma decisão aos humanos encarregados de gerir a natureza em "benefício do homem." Por isso é que se fazem grandes banquetes onde são servidos os mexilhões de outras paragens, sobretudo junto à orla marítima e foi daqui que nasceu a célebre frase: «Quando o mar bate contra as rochas,

quem se lixa é o mexilhão» e quem os saboreia em Lisboa ou no Algarve, são aqueles que  querem vivos os não comestíveis da Barragem que iria abranger três Municípios: Boticas, Cabeceiras de Basto e Ribeira de Pena.

      E quem pode garantir que um dia não envenenem os treze mexilhões transmontanos e ficarmos, deste modo, sem esta espécie de moluscos e sem os benefícios económicos da Barragem de Padroselos. E se isto acontecesse que iriam dizer os munícipes aos seus Presidentes das Câmaras e, um dia, ao Governo que tomasse a decisão em prejuízo da economia nacional?

             Deixe os seus comentários que, pela minha parte, serão sempre bem-vindos. Como diz o ditado popular:

    «Cada cabeça sua sentença...»

                       Artur Monteiro do Couto

                    

              



publicado por belezaserrana às 16:30
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
|

Quinta-feira, 7 de Janeiro de 2010
QUANDO OS PORCOS CHEIRAM BEM E SABEM MELHOR

   

                   PAVILHÃO MULTIUSOS DA CML BOTICAS EM DIA DE FESTA

     QUANDO OS PORCOS CHEIRAM BEM
 
         Se quisermos atingir negativamente algum ser humano, poderemos chamar-lhe porco. E esse porco, ou porca de duas pernas, reage furiosamente, arregalando bem os olhos e fechando o punho para nos brindar, se puder, com uns sopapos. Ninguém gosta de ser cognonimado de porco, como cognonimaram os reis de Portugal de “o Conquistador”, o “Gordo”, o “Formoso”, etc..
         Mas se em vez de “porco” lhe disséssemos que cheirava bem e lhe perguntássemos a marca do perfume que usava, a fúria era substituída pelo sorriso e a vaidade de ser invejado. É essa transformação que se vai operar nos dias 15,16 e 17 de Janeiro quando os reais porcos de Boticas derem entrada no grande Centro de Festas do Concelho para serem aclamados como  reis da economia barrosã com os seus colegas de aposentos, os vitelos, que mamaram nas tetas das vacas e partilharam com eles as batatas, os cereais, os vegetais e os farelos do centeio e do milho.
        E a festa honra os homenageados saídos das cortes da caca e das carquejas.
        Vejam só o ambiente em que vão ser recebidos, observando a fotografia do pavilhão multiusos do Município.
 
          Com o belo pavilhão repleto de expositores e visitantes, o aroma saído dos tradicionais potes e panelas onde se cozinham as carnes dos porcos e bovinos, criados com todo o carinho, temperadas com todos os cuidados que fazem a boa gastronomia,
 
          as narinas vão alargar-se e as glândulas salivares enxarcar-se nos
          lagos da boca à espera dos sabores reais que vão chegar.
          Os perfumes que andam no ar e rivalizam com os “Trésors”, D´or Addict, e outros da Lancôme e da Christian Dior, fazendo esquecer o nome feio de porco e pensar na excelência escondida debaixo da pele. Com a barba feita, essa espécie de cidadãos saídos do anonimato, fazem lembrar a cativante alvura nórdica das donzelas que se passeiam pelas nossas praias do Algarve ou Costa do Estoril.
           
          
                          
                              
          Será possível que de potes como este, onde se cozinham os alimentos à lareira, possam sair tais manjares?! Venha ver para crer.
 
       Enquanto os visitantes percorrem os expositores e vêem os presuntos, os salpicões, as chouriças de carne, as farinheiras e outras partes suínicas transformadas em apetitosos petiscos, os Grupos de Cantares de Sapiãos, de Boticas, de Beça e outros, cantam e dançam, alternadamente, a colaborar com o vinho, branco ou tinto, a “alegrar o coração dos homens e a fazer dançar as “mulheres”, vindas elas dos píncaros das Alturas do Barroso ou idas das grandes cidades burguesas, Lisboa ou Porto.
 
         Não esqueçamos que foram os porcos do Barroso que deram mais fama a Chaves; os célebres presuntos de Chaves desceram das terras frias dos lados de Boticas e Montalegre. Chaves é uma cidade fina de mais para criar porcos de quatro patas; tem muitos e belos jardins e não quer lá seres vivos que lhos estraguem. Mas também se não pode gabar do tal presunto que não cria, nem tem, a não ser vindo das montanhas onde se sujam as mãos e os socos.
 
                         
         Se a dieta lho exigir, banqueteie-se com um bom bife de carne barrosã.
     Não se esqueça dos dias 15,16 e 17, e volte sempre à Terra onde os porcos depois de mortos e cozinhados têm um aroma que rivaliza com os perfumes de Paris.
 
                                 Artur Monteiro do Couto 
                          
       


publicado por belezaserrana às 19:10
link do post | comentar | favorito
|

Sexta-feira, 1 de Janeiro de 2010
ANO NOVO VIDA NOVA

                      

                        EDUCAÇÃO PELA ARTE

 

        

       ANO NOVO VIDA NOVA. È a promessa feita por quem no ano transacto  teve um comportamento menos correcto para com os filhos, a mulher, os pais, os irmãos, os colegas de trabalho e outros cidadãos anónimos que se cruzaram com ele/ela no dia a dia, carregados de problemas, e, se passou por eles como se não fossem pessoas dignas das nossas atitudes benevolentes e colaborantes.
      Exactamente no primeiro minuto do ano, levantaram-se as taças de espumante «champagne». Comeram-se as 12(doze) passas e gritou-se: “ Que o Ano Novo nos traga Paz, Saúde, muito dinheiro e outras coisas boas.
      As taças cruzaram-se, os sorrisos abriram-se, os beijos estalaram nas faces uns dos outros. Parecia que todos os factores estavam reunidos para que reinasse a Paz nas Famílias e na Sociedade em geral.
       - Só que, em anos anteriores, os propósitos falharam e as repetidas promessas foram brevemente esquecidas: aumentaram os números dos divorciados; novos filhos a saltarem da casa da mãe para a do pai e vice-versa, como se fossem mercadoria de segunda classe; intrigas familiares e sociais originaram correrias para os Tribunais; as fábricas de armamento investiram mais intensamente na inovação de aparelhos de morte; os doentes continuaram abandonados à porta dos hospitais e dos Centros de Saúde à espera de uns comprimidos ou que lhes rasgassem a carne na esperança de que a vida voltasse à normalidade.
      E ano após ano; muitos novos anos se passaram e as esperanças de dias melhores foram-se diluindo. Não apenas lá longe, mas esta situação piorou dentro desta Terra que todos nós amamos, excepto meia dúzia de salafrários que querem enriquecer à custa do suor dos pobres e dos cidadãos honestos.
E com esta realidade social, eis-nos chegados ao Novo Ano 2010 – Primeiro de Janeiro, dedicado internacionalmente com DIA MUNDIAL DA PAZ.
      Creio ser este o momento exacto para cada um de nós se interrogar se quer construir a Paz ou alimentar a Guerra, em casa, no emprego, nos negócios, no Mundo a que pertencemos?!
       Se queremos viver e construir a Paz, reparemos na serenidade da criança da imagem com que ilustramos este texto. É um verdadeiro símbolo de ternura, de carinho e amor com que os Pais da Giovanna ( uma luso-descendente) a estão a educar pela arte e não por atitudes violentas como aconteceu com as sete crianças que foram retiradas à família pela Segurança Social para as confiar a Instituições de Solidariedade Social.
       O Novo Ano tem de ser um ano de esperança numa vida melhor e temos de começar a dar apoio mais atento às crianças, dando-lhes oportunidade de participarem nas Associações Culturais e Recreativas, nos Ranchos Folclóricos, nas Bandas Musicais e outras actividades que elas gostem. Hoje, tivemos oportunidade de ver um grande espectáculo na TVI = Uma Canção para Ti “ feito com crianças a partir dos 7 anos até
 aos 14. As Famílias foram os grandes pilares culturais, aliadas à carolice de agentes culturais anónimos do litoral ao interior do país.
            Esperemos que floresçam as virtudes para que o Mundo seja mais justo e mais humano.
                       Desejamos que os DIREITOS HUMANOS sejam respeitados em plenitude neste ano que está a dar os primeiros passos.
                                         
                                                          Artur monteiro do Couto
 


publicado por belezaserrana às 01:48
link do post | comentar | favorito
|

Sapiãos (Boticas)
subscrever feeds
pesquisar
 
Vida Rural em Sapiãos
Do namoro ao casamento

Aspectos da vida rural
Junho 2015
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30


posts recentes

SUBA AS MONTANHAS E VOLTE...

CHAVES RECEBEU EM FESTA A...

OUTONO CHEGOU FARTO, CHUV...

TERMAS DE CHAVES A GALIN...

MENSAGEM DOS QUE PEDEM PA...

O MEL TUTI_FLORES DÁ SAÚD...

HISTÓRIA DA ALDEIA ONDE ...

AS FLORES NÃO ENCOBRIRAM ...

HISTÓRIA DE CHAVES CONTAD...

ENTRE OS PORTUGUESES TRAI...

arquivos

Junho 2015

Março 2015

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

mais sobre mim
Sapiãos no mapa

Ver mapa maior
subscrever feeds
blogs SAPO