belezas paisagisticas e artisticas de Trás-os-Montes
Terça-feira, 22 de Junho de 2010
BARRAGEM PARADA POR CAUSA DO MEXILHÃO É «CÓMICO»

                       

  Entre as serras de Boticas,Chaves e Vila Pouca de aguiar corre o rio Tâmega, agora famoso pelas Barragens.

 

                    AS BARRAGENS, O TURISMO E AS FLORESTAS

 

      Na minha frente tenho o SEMANÁRIO  “A VOZ DE TRÁS-OS-MONTES”, nº 3129 de 3 de Junho 2010,

      dando voz às queixas da Cooperativa Agrícola e Câmara de Boticas contra o Estado, por não ter satisfeito as suas pretensões na reflorestação das áreas ardidas em Agosto de 2002. O estudo apontava para a introdução de plantas ornamentais e medicinais, reflorestação com folhosas e criação de pontos de água.

        Comentando a notícia, é sobre os pontos de água que quero fazer algumas observações.

Durante muitas dezenas de anos, nem Governos, nem Câmaras Municipais, nem Cooperativas Agrícolas pensaram dar prioridade aos pontos de água porque é precisamente nas freguesias onde tudo ardeu que mais água havia e há: Fiães do Tâmega (Veral),  Curros (Mosteirão), Pinho, etc., por aonde passa o rio Tâmega e agora vai ser construída uma das Barragens do Alto Tâmega. E se esta barragem estivesse feita em 2002 já as referidas áreas florestais não tinham ardido, já que o incêndio atravessou as águas dos rios Terva e Tâmega, parecendo estar a rir-se dos meios técnicos disponíveis para o combater, visto que as árvores das margens, nalguns pontos, tocavam umas nas outras e nem bombeiros, nem helicópteros conseguiam atingir os objectivos que os levaram ali.

      Observem esta fotografia tirada poucos dias antes do tal incêndio, a partir de Mosteirão,concelho de Boticas,voltados ao concelho de Chaves;

     Se em 2002 existisse a Barragem a separar as montanhas, sem prejudicarem ninguém, de uma forma visível, os helicópteros e os bombeiros poderiam facilmente abastecer-se de água e evitar a destruição total da floresta e das propriedades dos miseráveis agricultores que ainda não saltaram para outras paragens.  

 

     

          PARAR A BARRAGEM  por causa do “mexilhão” é «cómico» (PROFESSOR da UTAD)

      Esta notícia mereceu destaque no Telejornal da TVI, em 22 de Junho 2010.

 

Fonte do Ministério do Ambiente disse à Lusa que, «mediante medidas de reforço, a produção hidroeléctrica inicialmente prevista para o conjunto das quatro barragens mantém-se com a construção de apenas três».

Esta decisão da tutela «protege os valores ambientais sem colocar em causa a produção hidroeléctrica prevista».

 IOL Diário – Alto Tâmega.

Para o professor da UTAD, a solução «ideal» para o Alto Tâmega não passa por chumbar todas as barragens, até porque diz que a região está deprimida, económica e socialmente, e é uma área que não tem desenvolvimento económico e industrial.

«Temos que ser sensatos e temos que intervir nesta área para criar planos de desenvolvimento sustentáveis. Só que as barragens como estão projectadas não vão gerar desenvolvimento sustentável de forma nenhuma», frisou. O ideal seria, defendeu, «fazer o processo bem feito».

        Copiado de IOL Diário – Padroselo.(22 de Junho 2010)

 

Só espero não continuar a ver, o que tenho visto quase todos os anos durante as férias: as serras a arder, sem encontrar os responsáveis, que as populações não denunciam com medo de represálias, e os helicópteros a terem de percorrer longas distâncias à procura de água para se reabastecerem. A minha opinião sobre as Barragens está bem expressa noutros escritos deste blogue. Todos somos livres para expressar os nossos pontos de vista, sempre com o objectivo de cumprirmos um direito e dever de cidadania. Espero que seja encontrada a melhor solução, defendendo os interesses dos mais desprotegidos.

 

                                   Artur Monteiro do Couto



publicado por belezaserrana às 22:59
link do post | comentar | favorito
|

Sexta-feira, 18 de Junho de 2010
CRISTIANO RONALDO E OS MÁRTIRES DA BOLA

                                              A IMAGEM É ELUCIDATIVA

 

Sabemos perfeitamente quais são as contingências dos desafios de futebol e os perigos que correm os grandes jogadores. Mas quando recordamos o que aconteceu ao Figo, ao Futre e outros grandes jogadores, até nos arrepiamos ao vê-los agarrados às pernas quase a chorar.

     Agora, a grande vítima é o Cristiano Ronaldo. Ainda na época passada esteve dois meses sem jogar no Real Madrid e, talvez por causa disso, o Clube não ganhou o campeonato de Espanha.

    

 No primeiro jogo de Portugal, no Mundial 2010, contra a Costa de Marfim, apanhou a sério mais do que uma vez nas pernas, e quando reclamou, como se vê na fotografia, o árbitro que injustamente o tinha punido no jogo inaugural em 2006, na Alemanha, contra Angola, o árbitro uruguaio, Senhor Jorge Larrionda, mostra-lhe novamente, segundo dizem os entendidos, o cartão amarelo, injustamente, intimidando-o que se tivesse outro amarelo teria de abandonar o Campeonato do Mundo na África do Sul.

      Alguma coisa vai mal no reino do futebol e os interesses mesquinhos, por vezes estão tão escondidos que só quando a toupeira sai da toca é que se lhe vê a cabeça.

       A sorte do Cristiano Ronaldo é ir ter um treinador, José Mourinho, que não tem papas na língua e sabe defender os interesses dos jogadores e dos Clubes, nem que o castiguem das mais diversas formas, como aconteceu quando treinou o Inter de Milão.

              Errar, erramos todos; mas vinganças ou invejas são intoleráveis.

                                Artur Monteiro do Couto

    



publicado por belezaserrana às 13:11
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|

Quarta-feira, 16 de Junho de 2010
HOMENAGEM «ÀUELES QUE SE VÃO DA LEI DA MORTE LIBERTANDO»

 

      Drª Maria José Morgado no Dia 10 de Junho 2010 - Condecoração do Marido.

 

Despedida eterna

 

Zé Luis: começámos esta tua última viagem (tu gostavas de viagens)

na cama 56 dos serviços de cirurgia 1 do Hospital de Santa Maria. Lia-te

poesia e um dia parámos neste poema da Sophia de Mello Breyner:

”Apesar das ruínas e da morte,

Onde sempre acabou cada ilusão,

A Força dos teus sonhos é tão forte,

Que tudo renasce a exaltação

E nunca as minhas mãos ficam vazias”.

Assim foi.

No teu visionário e intenso mundo, a voracidade de um cancro traiçoeiro

não te consumiu a alegria, a coragem, a liberdade.

Entraste pela morte dentro de olhos abertos. O mundo que habitavas era

rico de ideias, de sonhos, de projectos, de honradez e carinho.

Percebemos o que ia acontecer quando no fundo do teu olhar sorridente

brilhava uma estrela de tristeza. Quando te deixava ao fim do dia na

cama 56 e te trazia no coração enquanto descia a Alameda da Cidade

Universitária a respirar o teu ar da Universidade, das aulas e dos alunos

que adoravas, do futuro em que acreditavas sempre.

Foste intolerável com a corrupção, com os cobardes e oportunistas. Não

suportavas facilidades. Resististe à sordidez, à subserviência, à canalhice

disfarçada de respeitabilidade e morreste como sempre viveste - livre.

Uma palavra para aqueles que te acompanharam nesta última viagem:

para os melhores médicos do mundo, para as melhores equipas de

enfermagem e de apoio, num exemplo de inexcedível dedicação ao

serviço médico público. Vivi com emoção diária o carinho com que te

cuidaram.

Uma palavra de gratidão sentida para o Professor Luis Costa e para o

Paulo Costa. E para um velho amigo de sempre o Miguel.

2

Também para Laura e para o Jorge e para a minha mãe e toda a família

que nunca te deixou.

Por fim uma palavra para aqueles amigos que inventaram uma barricada

contra a morte no serviço de cirurgia 1, cama 56, e te ajudaram a escrever,

a pensar, a continuar a trabalhar: o João Gama, o João Pereira e senhor

Albuquerque, cada um à sua maneira.

Suspiraste nos meus braços pela última vez cerca da 1,15 da madrugada

do dia 14 de Maio.

Vai faltar-me a tua mão a agarrar na minha enquanto passeávamos e

conversávamos.

Provavelmente uma saudade ridícula, perante a força do exemplo e da

obra que nos deixaste e me foi trazido por todos aqueles que te

homenagearam – a quem deixo a tua eterna gratidão.

Tenham a coragem de continuar.

[16.05.2010 - Maria José Morgado

 

          Esta ilustre Senhora (Procuradora-Geral Adjunta da Justiça) é Transmontana, que muito honra as suas origens e a dignidade em Portugal.

                       Associamo-nos à sua dor.

                  http://belezaserrana.blogs.sapo.pt     



publicado por belezaserrana às 19:47
link do post | comentar | favorito
|

Terça-feira, 15 de Junho de 2010
A MINHA ALDEIA PORTUGUESA PELO MUNDO REPARTIDA

aldeia portuguesa pelo mundo repartida  Foto de       Rogériocmonteiro

                      

                             Nascida há muitas centenas de anos,

com berço instalado sobre o prolongamento das rochas altaneiras da Serra do Leiranco, com 1.134 metros de altitude, junto às águas cantantes do Ribeiro do Vale e um jardim de abundantes espécies erbáceas e arbóreas à sua volta, foi crescendo à medida da lentidão dos tempos e da fecundação da espécie humana. O mel e as plantas virtuosas ajudaram à conservação dos viventes, fustigados por violentas intempéries durante os nove meses de Inverno e três de inferno até ao aparecimento da medicina moderna.

 

                   Consolidada a espécie, alimentada, sobretudo, pelo leite das cabras e das vacas; pelas couves, batatas, castanhas, pão centeio, carne de porco e pequenos suplementos caseiros, sopraram ventos novos de outras paragens descobertas pelos navegadores e viandantes a pé descalço.

                   No século XVIII, cheirou a ouro do Brasil e constou que bastava “abanar a árvore das patacas” para regressar rico. A atracção surgiu fortíssima e imparável para alguns. E partiram de saco às costas com umas vestimentas artesanais, feitas nos teares que hoje são monumentos culturais, de gente serrana pobre, entre elas, umas ceroulas de atilhos feitas de linho, carapins de lã de ovelha tricotados pela avó ou pela mãe, aos serões, uns socos tapados nos pés e uma capa de borel às costas.

O jerico, também conhecido por burro, personagem patrono dos burros de duas patas, deu-lhes uma boleia em direcção ao barco que os iria colocar na outra banda do Atlântico.

                   A dor dos que os viram partir está bem expressa na observação que um emigrante de sucesso, (dono de sete empresas, algumas delas, fábricas que vendem na imensidão do Brasil) :

«Tio, eu quero estudar; … para carregar caixotes às costas e cavar nos jardins, não deixava meu pai chorando, escondido no palheiro por não ter coragem de me ver partir.» Estas palavras traduzem uma violência extrema, mas foram-me repetidas pelo próprio, quando já doutor me contou a sua história para uma entrevista a publicar em «A VOZ DE CHAVES».

                    E os Emigrantes, uns mais cultos, outros mais endinheirados,

todos, muito trabalhadores e poupados, repartiram a minha aldeia, (Sapiãos), pelos quatro cantos do Mundo e, com o apoio deles, foram construídos os monumentos mais importantes a partir do século XVIII, até aos nossos dias.

                    Durante o mês de Agosto, parece que estamos a viver dentro de uma Universidade Poliglota, num encontro alegre e rejuvenescido, interligados pelo sangue vivo que foi passando de geração em geração.

 

                                Artur Monteiro do Couto

Comentário ao texto : “ A minha aldeia pelo mundo repartida” pelo Dr. João Celorico do blog :

http://aldeiadaminhavida.blogspot.com

 

Olá, amigo Artur!

Bendita a terra que os seus não esquecem, mesmo espalhados pelas sete partidas do Mundo!

De muitas outras serras e vales,
e para terras bem distantes,
foram para esquecer seus males
muitos e muitos emigrantes.

Aqueles, que ninguém cala,
mostram felicidade e riqueza,
dos outros, ninguém fala,
ignorando-lhes a pobreza.

Mesmo assim, é bom de ver
e ler-lhes o pensamento,
emigrar não é esquecer
a sua terra um só momento.

E, ao partirem, sem alegria,
por outros por cá deixarem,
esperam que chegue o dia
de à sua terra regressarem.

E é vê-los então renascer
recebendo da família o calor.
Na terra, que os viu nascer,
a sua vida tem mais valor.

Destes “heróis”, no fundo,
o que nos fica, afinal?
Ficam, espalhados pelo Mundo,
pedaços do nosso Portugal!

Abraço,
João Celorico

30 de Junho de 2010 00:19

 

 



publicado por belezaserrana às 00:17
link do post | comentar | favorito
|

Sábado, 12 de Junho de 2010
LUXUOSA MANSÃO DE CRISTIANO RONALDO NO GERÊS

                   

  MANSÃO DE CRISTIANO RONALDO JUNTO Á BARRAGEM DA CANIÇADA

 

        Suite com vista para a Caniçada

«A luxuosa mansão que Cristiano Ronaldo mandou construir para a sua família em plena serra do Gerês, e cujas obras avançaram recentemente, terá uma suite principal digna de um verdadeiro rei, como mostram as imagens do projecto, ao qual o CM teve acesso exclusivo.

Com 26 m2, o quarto do craque do Real Madrid, que se localizará no primeiro andar, tem até direito a um fantástico closet com cerca de 11 m2 e uma casa de banho privativa com 14,50 m2, onde se irá inserir o jacuzzi e uma zona de banho turco. As restantes divisões são também de grande envergadura. No andar de cima há ainda espaço para mais três quartos, todos com 15 m2 e casa de banho privada, de forma a proporcionar conforto a toda a família e amigos do jogador.

Já no rés-do-chão, destaque para a sala de estar, com 92 m2, que funcionará como lugar para refeições e para a família do internacional português se reunir em momentos de convívio. Este espaço será bastante iluminado por uma imensa clarabóia que irá incidir directamente sobre os sofás. Neste andar há ainda uma cozinha, outro quarto e duas casas de banho.

No terreno será ainda construída uma garagem com 65 m2 onde CR7 poderá estacionar todos os seus carros topo de gama. Em volta de toda a moradia com formato em ‘L’, há ainda espaçosas varandas com vista para a barragem da Caniçada e para a casa do seu empresário, Jorge Mendes. Os futuros jardins, que envolvem toda a casa, são outro detalhe que salta à vista na planta da habitação de Ronaldo.

 

DOIS SEGURANÇAS VIGIAM OBRAS DA NOVA CASA DE CR7

Localizada num local de difícil acesso, a construção da nova casa de Ronaldo é vigiada de noite e de dia por dois seguranças, "de forma a que ninguém possa espreitar para o seu interior", explicou ao CM fonte ligada à construção. Em volta da mansão há até uma imensa rede preta para impedir os curiosos de espreitarem para o interior. Apenas quem passa de barco pela barragem da Caniçada poderá observar a dimensão e o evoluir das obras. »

     Jornal Correio da Manhã, 9 de Junho 2010 ( Com a devida vénia).



publicado por belezaserrana às 13:24
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
|

Quinta-feira, 10 de Junho de 2010
DIA DE PORTUGAL, DAS COMUNIDADES E DE CAMÕES, 10 de JUNHO 2010.

 

 PRESIDENTE DA REPÚBLICA PORTUGUESA no DIA DE PORTUGAL

                     PORTUGAL PELO MUNDO REPARTIDO

Onde estiver um Português, está Portugal.

Na cidade de Faro, Algarve, celebraram-se hoje as cerimónias oficiais das Comemorações do Dia de Portugal, das Comunidades e de Camões. Foram momentos de júbilo sentidos por todos os que assistiram directamente à imponência do desfile das Forças Armadas, dos alunos dos Colégios e Escolas Militares e que acompanharam todos os pormenores pela RTP Internacional.

Um dos momentos mais significativos foi o desfilar, pela primeira vez, dos ex-Combatentes-Veteranos de Guerra que lutaram pela Pátria em qualquer parte do Globo e que uniram esforços e competências a Forças Armadas de outras Nações, em defesa dos Direitos Humanos nos mais variados países: Afeganistão, Bósnia, Timor, etc.. Os mortos não foram esquecidos; em uníssono rezou-se por eles, e todos se curvaram perante a sua memória.

 O Professor Doutor António Barreto, Presidente da Comissão Organizadora das Comemorações, fez um discurso brilhante, referindo com grande dignidade todos os que ao longo dos tempos lutaram e trabalharam pela Pátria, obedecendo às orientações de quem tinha a responsabilidade de decidir, segundo as circunstâncias das épocas vividas pelas Comunidades nacionais e internacionais.

      O Senhor Presidente da República, Professor Doutor Cavaco Silva, exaltou as virtudes dos Portugueses ao longo da História de séculos, recordando que fomos nós os primeiros a levar a Europa pelo Mundo fora; que passámos por duros sacrifícios mas que sempre soubemos vencê-los. Apelou à coesão nacional e recomendou que devemos deixar para trás divisões estéreis com espírito de harmonia e confiança. Deu como exemplo a solidariedade com a Região Autónoma da Madeira para ultrapassar a catástrofe recente. Fez ainda um apelo à Paz Social e à confiança, concertando posições, e lembrou que não foi o desânimo que nos levou à Índia e aos Países da Expansão Ultramarina. A sua intervenção foi muito aplaudida.

     O Presidente da República condecorou 37 personalidades pelos relevantes serviços prestados ao País. O professor Dr. Saldanha Sanches e Rosa Lobato de Faria foram condecorados a título póstumo.

 

       A filha, Drª Laura Morgado Saldanha Sanches recebeu a condecoração 

   Noutras publicações ou em www.google.pt  podem recolher todos os pormenores.

 

Aqui, apenas vou destacar o locutor e dirigente da Rádio Renascença,  António Sala porque convivi de perto com ele e reconheci-lhe sempre qualidades profissionais e humanas fora do vulgar. Tratou sempre toda a gente com grande afabilidade e a sua competência ajudou a colocar a Rádio Renascença como a estação de rádio de maior audiência nacional. Distinguiu-se ainda como compositor musical e artista da canção. De sua autoria toda a gente conhece  : « Zé Brasileiro Português de Braga, Português do Mundo».

 

                 Parabéns ao Senhor Comendador António Sala.

 Felicidades para todas as Comunidades espalhadas pelo Mundo

  « …  que por obras valorosas

    Se vão da lei da morte libertando…»

                                    Luís de Camões

                           Artur Monteiro do Couto



publicado por belezaserrana às 19:47
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|

Segunda-feira, 7 de Junho de 2010
DANÇAS E CANTARES DO MINHO NAS AVENIDAS DE LISBOA


  Cabeçudos, gigantones e bombos animam as Romarias

O Povo quer alegria e vive em funçãqo dela. O capitalismo para as populações rurais é secundário e, vulgarmente, não têm inveja daqueles a quem corre bem a vida. As pessoas são solidárias na sua pobreza e humildade. Nas festas, cantam e dançam.

Os burgueses das cidades e pseudo-ricos que não passam de vaidosos, lá no fundo, invejam esta espontaneidade e alegria.

Busquem esta alegria nas aldeias que nunca cultivaram a inveja contra os seus vizinhos e amigos. E boas férias.

 

                        

A LAURA é uma menina que faz parte do Rancho Folclórico
Amigos do Minho, residentes na Cidade da Amadora.

 

« É DE PEQUENINO QUE SE TORCE O PEPINO» - provérbio popular que ajuda a crescer culturalmente os " SUPER-MIÚDOS" que participam no programa televisivo da RTP e que, com toda a facilidade, têm derrotado professores e outros licenciados. As crianças têm de crescer felizes e motivadas para os valores culturais, sejam eles populares, citadinos ou científicos.

Os participantes nas festas, sobretudo os estrangeiros que nos visitam, ficam encantados com esta formação cultural dada às crianças, preservando, assim, a cultura secular dos Povos.

Artur Monteiro do Couto



publicado por belezaserrana às 00:22
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|

Sexta-feira, 4 de Junho de 2010
COMEÇARAM AS GRANDES FESTAS DE NORTE A SUL DE PORTUGAL

           

            AS DELICIOSAS  SARDINHAS DOS RICOS E DOS POBRES - MANJARES DOS DEUSES

 

      PORTUGAL pode ter, e tem, problemas económicos diversos causados pela incompetência de dirigentes políticos que utilizam as técnicas dos vigaristas bem falantes que se abeiram dos camponeses perdidos no isolamento das montanhas a prometer-lhes grandes recompensas se trocarem as notas que têm guardadas no colchão pelas que lhes vão trazer horas depois.

E os serranos honestos que nunca ouviram as cabras, as ovelhas e os seus porcos a mentir, embarcam na linguagem espalhafatosa dos trafulhas e, já nessa noite, deixaram de dormir porque se aperceberam do logro em que tinham caído. Por causa da crise ou sem crise, cada dia que passa, mais portugueses estão a deixar de dormir por causa dos que lhes ofereceram canetas, camisolas, barretes, com as cores dos partidos, e beijos e abraços de rapazes e raparigas jeitosas.

   Caídos no logro, agora, em vez de lhes retribuírem os beijos chamam-lhes  «os nomes das festas…» a que na minha aldeia classificam de asneiras das grossas.

 

           Ora bem, como tristezas não pagam dívidas, vamos mas é pensar nas festas de Verão, e as primeiras vão começar em força dentro de dias. Refiro-me às dos Santos Populares que se realizam de Norte a Sul de Portugal. As primeiras são dedicadas a Santo António; logo a seguir, vêm as do São João e quase em contínuo chegam as de São Pedro. Há, em todas elas, programas gratuitos para cantar e dançar sem nada pagar.

 Do Minho, Trás-os-Montes e Alto Douro… descendo até ao Algarve em todas as regiões há ranchos folclóricos, bandas musicais, artistas populares, e cabeças de cartaz, a criarem uma atmosfera de felicidade. E não falta o bom vinho para desinibir os mais tímidos ou queixosos do reumatismo, e as sardinhas assadas e o pão regional para saborear nos intervalos do baile.

          O Convite estende-se a todos os que nos queiram visitar porque, durante esta época, não vão ouvir lamúrias.

Lisboa é a capital das festas e dos convívios internacionais. Para Já, recomendamos as Marchas de Santo António (dia 12) e as festas de rua em Alfama, no Bairro Alto, nas ruas adjacentes ao Castelo de São Jorge.

          Acreditem que não lhes estou a vender a banha da cobra. A principal festa da minha aldeia foi ontem; Festa do Corpo de Deus, com arraial, bandas de Música e comida de ricos.

                Termino com o refrão da Marcha de Boticas (vila do Norte de Portugal. Tem uma grande Romaria no dia 15 de Agosto; a não perder):

   

      « Ó alegres raparigas, lindas cantigas, vamos cantar…

        Ó rapazes neste dia, haja alegria sem acabar.

        Ó corações alegrai-vos, voai, soltai-vos e palpitai;

        Haja alegria nas almas, batei as palmas, cantai, cantai.»

                           Artur Monteiro do Couto    



publicado por belezaserrana às 12:07
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
|

Quarta-feira, 2 de Junho de 2010
JOSÉ MOURINHO HOMEM SEM MEDO

 

           O treinador português, José Mourinho, 

conduziu o Inter de Milão à liderança do ranking de clubes da Federação Internacional da História e Estatísticas do Futebol com 297 pontos, no mês de Maio, ao conquistar  a Liga dos Campeões Europeus, o Campeonato e a Liga de Itália, igualando o Barcelona. Nesta lista, o Benfica é o melhor classificado de Portugal, ocupando o 29º lugar.

      As bases em que assentam os seus triunfos são claras, como já referiu em Madrid:

      «No clube não quero jogadores “galácticos”; “Galáctico” é o Clube.»

   «Não quero ninguém estranho no balneário. A equipa principal é uma área da responsabilidade do treinador. Ninguém pode questionar as vezes que tenho de treinar, quando e como. Ninguém poderá dizer se tenho que jogar em 4-4-2 ou em 4-3-3. No intervalo dos jogos não quero lá ninguém a dar opiniões ou ordens. A responsabilidade é minha e eu assumo-a por inteiro.»

         Jornal Público, 1 de Junho 2010.

 Pensa fazer uns acertos na equipa; talvez com Di Maria do Benfica, Maicon do Inter, Kolarov, (Lázio) e Rossi (Roma).

          E vamos trabalhar sem medo para conquistar as vitórias que todos desejamos.

                          PROGRAMA SUCINTO E EFICAZ.

                                Artur Monteiro do Couto



publicado por belezaserrana às 18:56
link do post | comentar | favorito
|

Sapiãos (Boticas)
subscrever feeds
pesquisar
 
Vida Rural em Sapiãos
Do namoro ao casamento

Aspectos da vida rural
Junho 2015
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30


posts recentes

SUBA AS MONTANHAS E VOLTE...

CHAVES RECEBEU EM FESTA A...

OUTONO CHEGOU FARTO, CHUV...

TERMAS DE CHAVES A GALIN...

MENSAGEM DOS QUE PEDEM PA...

O MEL TUTI_FLORES DÁ SAÚD...

HISTÓRIA DA ALDEIA ONDE ...

AS FLORES NÃO ENCOBRIRAM ...

HISTÓRIA DE CHAVES CONTAD...

ENTRE OS PORTUGUESES TRAI...

arquivos

Junho 2015

Março 2015

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

mais sobre mim
Sapiãos no mapa

Ver mapa maior
subscrever feeds
blogs SAPO