belezas paisagisticas e artisticas de Trás-os-Montes
Terça-feira, 13 de Março de 2012
A ECONOMIA do PORCO e da GALINHA no PORTUGAL NORTENHO.

 

  

                                           DAQUI NASCEU O FOLAR

        

    Nos meses frios de Novembro e Dezembro começam os encontros gastronómicos

 na devoragem apetitosa de tudo quanto pertence ao “Porco” que, depois de bem nutrido e lavado, como nunca lhe fizeram em vida, vai ter honras e elogios mais repetidos do que sucede com políticos que se dirigem àquelas paragens em época de campanhas eleitorais.

   As homenagens aos suínos começam lá para as bandas de Montalegre e vão-se alargando a Boticas, Chaves, Valpaços, Mirandela, Vinhais e por todas as regiões transfonteiriças. Saem à rua as Bandas Musicais, os concertinistas e cantores ao desafio, os ranchos folclóricos, os gaiteiros portugueses, espanhóis e de outras paragens, animando os visitantes enquanto estes saboreiam os presuntos, salpicões, orelheiras, alheiras, chouriças só de carne ou com farinha, (farinheiras) e - ao morto, nem os pés lhe deixam em paz. Comem-lhe tudo, dos pés à cabeça. E os que viveram ao seu lado e os trataram com todo o carinho, em vez de chorarem pelos amigos, sorriem e sentem-se orgulhosos por comprarem, pagarem e comerem tudo; ou nas festas do fumeiro em terras transmontanas ou mais tarde por esse mundo de Cristo além. O apetite de chorar é afastado pelos milhares de €uros que vão circular na economia doméstica, bastante carenciada em tempos malvados para a gente do campo.

 

       Aproxima-se a Primavera e com ela a Festa da Páscoa lembrando as agruras e alegrias da morte e Ressurreição de Jesus Cristo.

 

       Entra em acção o ciclo da economia galinácea. Os ovos, fruto do amor infiel do galo cantador e da amante ocasional, galinha, vão ser os reis da festa gastronómica da “Passagem = Páscoa” dando origem aos excelentes folares de CHAVES, mais célebres os do João Padeiro, e a milhões deles que se foram e vão espalhando pelo mundo. Eles têm o condão de transformar a farinha-triga, saída dos seus campos ou do Continente do Senhor Belmiro, em ouro comestível, com carne do amigo de quem acabámos de falar ou sem carne. O azeite, biológico ou não, com mais ou menos acidez, dá-lhe brilho, é uma espécie de passagem pelas mãos dos artistas polidores, como vimos há dias, na Televisão, a fazer às jóias. É que eles também passam pelo calor do forno, seja ele aquecido a lenha, como nos fornos comunitários do Barroso ou pelos que vieram trazidos pelas modernices.

     E as galinhas poedeiras, … também vêm pôr euros nos bolsos das patroas para comprarem as televisões digitais necessárias para ver as telenovelas e aprenderem a falar português e espanhol .

      - Ora vejam só, e quem diria -  que os Porcos e os Galináceos  têm um papel tão importante na economia doméstica do país dos pobres.

 

     BOAS-FESTAS e  FELICIDADES, para quem produz e quem come.

                          Artur Monteiro do Couto



publicado por belezaserrana às 19:38
link do post | comentar | favorito
|

1 comentário:
De Amaro a 13 de Março de 2012 às 22:00
Dizer isto tudo é fazer história. O folar nasceu nas nossas "berças" mas foi apanhado pelos outros que o divulgaram e agora são capazes de dizer que foram eles os inventores. Grandes ald.....!
Isto é verdade, porque o "reco" e a "pita", eram o alimento da nossa gente. Ambos tinham os seus derivados: que agora apelidam de enchidos (eram chouriças, salpicões, o unto, os rojões...), até a bexiga do "reco" era aproveitada para encher de ar para curar certas mazelas... Eu ainda sou desse tempo...


Comentar post

Sapiãos (Boticas)
subscrever feeds
pesquisar
 
Vida Rural em Sapiãos
Do namoro ao casamento

Aspectos da vida rural
Junho 2015
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30


posts recentes

SUBA AS MONTANHAS E VOLTE...

CHAVES RECEBEU EM FESTA A...

OUTONO CHEGOU FARTO, CHUV...

TERMAS DE CHAVES A GALIN...

MENSAGEM DOS QUE PEDEM PA...

O MEL TUTI_FLORES DÁ SAÚD...

HISTÓRIA DA ALDEIA ONDE ...

AS FLORES NÃO ENCOBRIRAM ...

HISTÓRIA DE CHAVES CONTAD...

ENTRE OS PORTUGUESES TRAI...

arquivos

Junho 2015

Março 2015

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

mais sobre mim
Sapiãos no mapa

Ver mapa maior
subscrever feeds
blogs SAPO