belezas paisagisticas e artisticas de Trás-os-Montes
Segunda-feira, 20 de Agosto de 2012
JARDINS NAS RUAS DA ALDEIA VIVEM DO AMOR DAS MULHERES ÀS FLORES.

    

    RUAS FLORIDAS NA ALDEIA - E FLORES NAS VARANDAS DAS CASAS 

 

    

          Gastam-se horas, discursos, tempos de antena, festas e comezainas a elogiar as tais figuras públicas que aos interesses do público pouco tempo dedicaram. Alguns comeram-lhes a carne e continuam a chupar-lhes os ossos; em troca recebem condecorações e palmadas nas costas porque, discretamente, foram dividindo com os comparsas.

          Nas aldeias de Portugal, serranas ou litoralistas, há uma classe de pessoas que pela sua sensibilidade e cultura do belo, sem que ninguém lhes pague um cêntimo, cultivam flores à janela ou nas ruas por aonde passam todas as espécies de animais, racionais e irracionais, todos as admiram, cheiram e estimam. E cada ano que passa, o jardim, dia e noite aberto ao público, sem guardas e jardineiros pagos, vai crescendo e embelezando o ambiente e as ruas que há anos atrás estavam cobertas de estrume para servir de alimento à cultura das batatas, do milho e centeio que deram de comer a muitas gerações.

 

     Não temos ouro nem prata para condecorar as mulheres da minha aldeia, mas testemunhamos-lhes a nossa gratidão e simpatia pelo embelezamento da Terra que habitam com amor, carinho e sentido estético, ajudando a construir um mundo rural em que seja mais agradável viver.

 

            Um grande abraço de parabéns para as mulheres da minha aldeia.

                                  Artur Monteiro do Couto

               ( Um serrano na  transmontana serra do Leiranco)



publicado por belezaserrana às 21:15
link do post | comentar | favorito
|

2 comentários:
De A. A. a 26 de Agosto de 2012 às 17:58
Passei lá no inicio do mês de Agosto.
Parabéns às heroinas de Sapiãos pela beleza daquele jardim em cima das lages construido.
Parabéns ao Artur Couto pela divulgação e promoção de tanta beleza.
Porque será que os poderes locais não fazem como aquelas heroinas de Sapiãos?
Querer é poder, e há tanta coisa que poderia ser feita!..
Um grande abraço para o amigo Artur Couto.
A.A..


De Brightware a 24 de Janeiro de 2013 às 12:02
Pois claro, e vão continuar a dar cartas e a continuar a desenvolver excelentes projectos.


Comentar post

Sapiãos (Boticas)
subscrever feeds
pesquisar
 
Vida Rural em Sapiãos
Do namoro ao casamento

Aspectos da vida rural
Junho 2015
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30


posts recentes

SUBA AS MONTANHAS E VOLTE...

CHAVES RECEBEU EM FESTA A...

OUTONO CHEGOU FARTO, CHUV...

TERMAS DE CHAVES A GALIN...

MENSAGEM DOS QUE PEDEM PA...

O MEL TUTI_FLORES DÁ SAÚD...

HISTÓRIA DA ALDEIA ONDE ...

AS FLORES NÃO ENCOBRIRAM ...

HISTÓRIA DE CHAVES CONTAD...

ENTRE OS PORTUGUESES TRAI...

arquivos

Junho 2015

Março 2015

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

mais sobre mim
Sapiãos no mapa

Ver mapa maior
subscrever feeds
blogs SAPO