belezas paisagisticas e artisticas de Trás-os-Montes
Terça-feira, 25 de Outubro de 2011
AS BARRAGENS EM "PRÓS e CONTRAS"

     

 

        OS INCÊNDIOS E A FALTA DE ÁGUA MOTIVAM O DESPREZO DAS TERRAS.

 

                          AS BARRAGENS EM “PRÓS E CONTRAS

 

                 Abrimos este assunto que tão discutido tem sido, com um pequeno número de portugueses contra e significativamente mais a favor da construção das mesmas, com umas observações publicadas ultimamente nos meios de Comunicação Social:

         - Bragança teve de ser abastecida de água, pelos bombeiros, extraída da barragem do Azibo, Macedo de Cavaleiros.

        - A falta de chuva dos últimos meses secou a barragem do Alto Lindoso e, passados 20 anos, muitos habitantes puderam ver os restos das casas que tiveram de abandonar, quando a barragem começou a encher.

        - Os preços da água continuam a subir e muitas famílias não podem suportar os custos.

         -O preço da electricidade tem vindo a subir. «É urgente aumentar a produção de todas as fontes de energia.»

         - Chegou a chuva em 23 de Outubro, e a neve à Serra da Estrela no dia 25; e com elas, surgiu uma nova esperança para os agricultores.

            Posto isto, passemos à água e às barragens.

         - JORNAL  EXPRESSO de 22 de Outubro, página 4: « Candidatura Conjunta; Portugal e Espanha querem Agência da Água. Forum Mundial Lisboa 21...»

  Passo a transcrever do Jornal EXPRESSO de 15 de Outubro 2011, página 29 (primeiro caderno) algumas declarações da autora, Dulce Álvaro Pássaro (ex –Ministra  do Ambiente do anterior Governo do Eng.º José Sócrates)- que são uma resposta àqueles que manifestaram  à TROIKA a sua oposição ao Plano Nacional de barragens do Governo, considerando-o  “um desastre económico e ambiental”.

      «PLANO NACIONALL DE BARRAGENS: DESASTRE OU MAIS-VALIA?»

 « Sendo clara a mais-valia do PNBEPH para a consolidação das políticas energética e ambiental num contexto de desenvolvimento sustentável, a construção destas barragens foi precedida de Avaliação Estratégica, além da avaliação ambiental caso a caso, que determinou para além de várias medidas de salvaguarda e protecção, a não construção da Barragem de Padroselos (rio Beça – Boticas- para salvaguardar 12 mexilhões não comestíveis.-Observação do autor destas notas.)»

«Efectivamente, na sequência do concurso público internacional a que os 10 locais foram submetidos, o Estado encaixou contrapartidas financeiras de 600 milhões de euros, garantindo ainda os fins múltiplos como o abastecimento e a rega.Nos contratos assinados com os promotores, não estão previstos quaisquer encargos futuros para o Estado, sendo a construção das barragens assegurada por investimento privado superior a 2000(dois mil) milhões de euros, com incidência na dinamização da economia e criação de emprego.»

            Nota: Estas decisões têm sempre «prós e contras»,como em tudo na vida, e são aceitáveis todas as opiniões. «Da discussão nasce a luz», como diz o senso comum.

 

          Tendo em conta as misérias e fraquezas actuais de Portugal, sou dos que aceita o argumento das mais-valias: criação de emprego, aumento de fontes de energia, abastecimento de água para as populações e fortes apoios para o combate aos incêndios. Não compreendo que se elimine a barragem de Padroselos por causa, diz-se, de 12 mexilhões, segundo informações que recolhi junto de habitantes locais, que nunca os viram, nem conhecem quem os teria visto. - Não haverá câmaras de filmar para esclarecer este assunto?! Recorra-se à NATIONAL GEOGRAPHIC… Isto tem uma certa razão de ser porque, na minha aldeia, em 2010, “apareceram lá uns rapazes de Jeep a perguntar a pessoas que merecem crédito, se nunca tinham visto no Ribeiro do Vale, mexilhões ou outros bichos estranhos.”

         Com tantas mentiras que se têm feito passar por verdade, mesmo no campo das hipóteses científicas, tirem-se as dúvidas a cépticos como eu, acreditando sem reservas no «Ver para Crer-acreditar”.

         Trocar a mais-valia de uma barragem por uns inúteis mexilhões, parece-me uma decisão ridícula, como outras que transformaram Portugal num mendicante. E os agricultores, perseguidos pelos incêndios  e pelos poderes públicos, abandonam as propriedades deles e vão trabalhar e rentabilizar as estrangeiras. 

          E nós ficamos a ver as águas, que agora começaram a cair, correndo a alta velocidade para o mar.    

                 Artur Monteiro do Couto



publicado por belezaserrana às 20:12
link do post | comentar | favorito

1 comentário:
De rioterva a 26 de Outubro de 2011 às 21:23
Sr. Dr.
Concordo plenamente com o seu artigo; é de
lamentar que 60% dos nossos recursos hídricos não estão aproveitados. Estas barragens não inundam aldeias e ocupam alguns terrenos agrícolas nas margens do Tâmega em Ribeira de Pena,


Comentar post

subscrever feeds
pesquisar
 
Junho 2015
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30


posts recentes

SUBA AS MONTANHAS E VOLTE...

CHAVES RECEBEU EM FESTA A...

OUTONO CHEGOU FARTO, CHUV...

TERMAS DE CHAVES A GALIN...

MENSAGEM DOS QUE PEDEM PA...

O MEL TUTI_FLORES DÁ SAÚD...

HISTÓRIA DA ALDEIA ONDE ...

AS FLORES NÃO ENCOBRIRAM ...

HISTÓRIA DE CHAVES CONTAD...

ENTRE OS PORTUGUESES TRAI...

arquivos

Junho 2015

Março 2015

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

mais sobre mim
subscrever feeds
blogs SAPO