belezas paisagisticas e artisticas de Trás-os-Montes

Quinta-feira, 23 de Julho de 2009
NO PORTUGAL DAS VAIDADES HÁ MISÉRIA IGNORADA.

 

       NO PORTUGAL DAS VAIDADES
         É UM ESCÂNDALO HAVER ALDEIAS SEM ELECTRICIDADE.
 
     Há dias, na TVI, nas “TARDES DA JÚLIA PINHEIRO”, duas senhoras, mãe e filha, relataram as péssimas condições em que viveram, até há pouco tempo, sem frigorífico, sem televisão, sem electricidade, numa escuridão idêntica àquela em que viveram os homens primitivos acrescida da revolta de saberem que a vida dos restantes portugueses não era igual à delas; viviam como se vive nesse mundo civilizado onde até a Comunidade Europeia subsidia a instalação de luz eléctrica na corte dos animais. “ A Senhora D. Júlia” ajudou-lhes a resolver o problema. Aos 89 anos de vida, a mãe pôde carregar no botão e ver tudo diferente. No dia seguinte, entrou pela porta dentro o aparelho de televisão e o frigorífico. E tudo mudou na vida daquela gente da Beira…
  
Agora, no concelho de Boticas,
no Povoado de "Casas da Serra", são outros os personagens a queixarem-se nas Televisões e nos jornais, entre eles, O Semanário Transmontano do dia 17 de Julho de 2009, que dá voz a uns desgraçados que toda a vida foram marginalizados e que ainda continuam às escuras quando se apregoam as novas energias e vêem na sua frente as grandes eólicas a gerarem e a mandarem a tal electricidade para outras paragens, que dá para abastecer 24 mil habitantes.
       Dizem no jornal: “ Foi tudo embora”. «Ao contrário dos sobrinhos, os tios dos irmãos Ferreira, os últimos dois habitantes a abandonar o lugar, não se habituaram à escuridão. Com o dinheiro que ganhou em França, o casal ainda reconstruiu, em chapa uma habitação em Casas da Serra. Mas acabou por abandonar o local, mudando-se para uma aldeia mais próxima da sede do concelho, Quintas. «Eles vinham habituados a ter todas as condições e estranharam muito, sobretudo, não poderem ter frigorífico», recorda José que ainda se lembra quando no lugar moravam “umas vinte pessoas.» Foi tudo embora, conclui.»
« Aos domingos vem cá muita gente e dizem que isto é muito bonito. “ Mas é só para passear…” “Para viver é um inferno”.
              -  Com a «casa roubada, trancas à porta». Quando lá chegar a electricidade, com os residentes a desaparecerem, e muitos deles a serem encaixotados nos cemitérios, virão uns novos colonos de fato, gravata e camisas de seda, recuperarem esta aldeia abandonada e transformá-la em aldeia turística, como tem acontecido para as bandas da Serra da Estrela.
                 E é este Portugal do Barroso, do Guerreiro que está em lugar de honra no Mosteiro dos Jerónimos, que faz parte do terceiro mundo mais abandonado, para aonde O Governo Português manda milhões de euros e soldados para que esses países tenham progresso; e estes desgraçados, que nasceram e vivem em Portugal, que se contentem com os lobos a comerem-lhes os animais, com as ventanias a fustigarem-lhes os corpos e a neve e o gelo a prendê-los dentro dos casebres que, pouco a pouco, vão desaparecendo do mapa.
Será que não haverá um pouco de vergonha projectarem-se obras como o “Comboio de Alta Velocidade (T G V)” e deixar-se estes cidadãos entregues à sua fraca sorte?
                     Se quiser visitar esta pobreza, pode seguir de Braga até à Barragem da Venda Nova, concelho de Montalegre, deixe a estrada n.º 103  e vire em direcção a Boticas. Siga a estrada n.º 111 e, a poucos quilómetros já vê o parque das eólicas.Os acessos estão asfaltados. Encontrará paisagens deslumbrantes e gente a dizer mal da sua vida. E, depois, passe pelas Alturas do Barroso, desça até Boticas, e visite SAPIÃOS, a melhor aldeia do concelho. Estes contrastes ajudam-nos a equilibrar o espírito crítico e a reflectir melhor na origem dos problemas.
 
                                       OS MUNICÍPIOS DO ALTO TÂMEGA
                                   reclamam e têm razão.
 
        Após uma reunião em Chaves, os Presidentes dos Municípios exigem do Governo obras decorrentes das verbas que o Estado vai receber por conta da construção das quatro barragens no Rio Tâmega.
       «Constituindo uma receita directa do Estado, os 303 milhões de euros pagos pela IBERDROLA, depois de ter vencido o concurso para a concessão do Complexo de Barragens do Alto Tâmega, é da mais elementar justiça que parte dessa receita se destine às aldeias com problemas graves como as do Barroso e outras, dispersas por montes e vales, pondo de lado a prioridade, se não a exclusividade para os jardins e rotundas das sedes dos concelhos ou dos confortos desmedidos entre Lisboa, Porto ou o resto do Mundo. Se fizerem um ligeiro estudo, verão que não são os militares dessas cidades que se disponibilizam para defender os interesses de Portugal. Às vezes ainda os classificam como os burros das aldeias… que foram criados à luz da candeia.
 
                                            Coordenação de  Artur Monteiro do Couto
 
 
                             «SE TENS INVEJA DO MEU VIVER
                                                           TRABALHA
                          M A L A N D R O.»
 


publicado por belezaserrana às 15:31
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito

subscrever feeds
pesquisar
 
Junho 2015
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30


posts recentes

NO PORTUGAL DAS VAIDAD...

arquivos

Junho 2015

Março 2015

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

mais sobre mim
subscrever feeds
blogs SAPO